PM faz bloqueio em apenas dois dos três pontos da Ponte Rio-Niterói; nas barcas, babá doente é impedida de entrar

Leticia Lopes
Movimentação dos passageiros na Estação Arariboia, em Niterói

No primeiro dia útil do "cordão de isolamento sanitário" da capital fluminense determinado pelo governador do Rio, Wilson Witzel, o acesso às catracas das barcas, na estação Arariboia, em Niterói, o vale-transporte ou bilhete único passou a dividir espaço com a carteira de trabalho e crachás dos trabalhadores de serviços essenciais que precisam chegar ao Rio. Usando máscaras e luvas, equipes da Polícia Militar se dividem em três entradas gradeadas na porta da estação para verificar a identificação dos passageiros. Os funcionários da concessionária que administra o serviço orientavam os passageiros a evitar filas e aglomerações.

Um grupo de funcionárias de telemarketing estavam reunidas sem saber o que fazer após serem barradas pelos agentes. A função não está lista de atividades essenciais previstas no decreto do governo do estado.

– No sábado (21), nós que moramos para o lado de cá fomos liberadas, mas quem é do Rio precisou trabalhar. Nosso prédio é no Centro, numa área que está super perigosa. Um funcionário está com suspeita de coronavírus, e não houve nenhuma higienização na nossa sala – contou uma funcionária que preferiu não se identificar, preocupada em se contaminar por dividir a sala com cerca de outras 100 colegas.

A cuidadora de idosos Letícia Leconte, de 29 anos, conseguiu acessar a estação, e atravessar para a Praça XV. Ela cuida de uma senhora de 82 anos, portadora de Alzheimer, mas temia não conseguir chegar a Botafogo, na Zona Sul, por não estar com a carteira de trabalho.

– Me mudei para Niterói há dois meses, morava em Belford Roxo, e minha carteira está lá. Estou sem meus contracheques dos últimos meses. O único comprovante que tenho é um pedido de exame da senhora que cuido – disse.

Tossindo e usando uma toalha de mão para proteger o nariz e a boca, uma senhora foi barrada no bloqueio da estação Araribóia, em Niterói. A mulher se identificou como babá do filho de um médico da Polícia Militar, e contou ter uma declaração escrita pelo chefe para que ela pudesse embarcar no transporte.

– Senhora, não sabemos o que a senhora tem. Como vamos liberar o seu acesso? – explicou um PM.

A senhora chegou a tentar mostrar o documento redigido pelo patrão no celular aos agentes, que, por prevenção, não pegaram o aparelho e mantiveram distância da mulher.

Na Ponte, poucos veículos interceptados

No bloqueio nos acessos à Ponte Rio Niterói, policiais militares só estavam presentes em duas das três entradas da via. Para os motoristas que seguiam a partir das avenidas Marquês de Paraná e Jansen de Melo, no início da manhã desta segunda-feira (23), uma equipe do 12° batalhão (Niterói) rendia os agentes que atuaram no local durante a madrugada. Os policiais, no entanto, não interceptavam nenhum veículo durante o início da manhã "porque não havia nenhuma recomendação", segundo eles.

No acesso da Alameda São Boaventura, uma viatura do Departamento de Transportes Rodoviários (Detro/RJ), atuava em conjunto com os policiais militares por causa do tráfego de vans que fazem trajetos para o Rio. No local, as equipes da PM se revezavam em turnos de 4h. Nenhum veículo de transporte por aplicativo foi interceptado no bloqueio nas últimas horas, segundo os agentes.

No início da manhã, a Alameda São Boaventura tinha cerca de 1 km de congestionamento por conta do bloqueio. O motorista Jessé Guedes levava funcionários para a Casa da Moeda, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, em um ônibus fretado, e foi parado no bloqueio, mas liberado em seguida.

– Estou com todo o documento necessário. Tenho três funcionários comigo no ônibus. É a primeira vez que passo pelo bloqueio aqui na Ponte – contou.

Já no acesso pela BR-101, a Niterói-Manilha, nenhuma equipe da Polícia Militar atuava para interceptar ônibus intermunicipais, vans e carros de transporte por aplicativo. Veículos de passeio acessavam a via sem nenhum impedimento no início da manhã desta segunda-feira.