PM de folga morre após ser baleado em roubo na zona oeste de São Paulo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um sargento da Polícia Militar, de folga, morreu após ser ferido por ao menos cinco tiros, em um latrocínio (roubo seguido de morte), por volta das 21h30 desta segunda-feira (21), na região do Jaguaré, zona oeste da capital paulista.

O celular e a arma do agente teriam sido levados pelos criminosos. Ninguém foi preso.

Guardas-civis metropolitanos, que primeiramente atenderam o caso, foram informados informalmente sobre o fato de o sargento Alexandre Rezende Porto, 48, ter marcado um encontro, por meio de um app de namoro.

Segundo registros do 91º DP (Ceasa) o PM de folga foi abordado por suspeitos quando estava parado, com sua motocicleta, na avenida Presidente Altino. O alvo dos criminosos, segundo a polícia, seria o veículo do sargento.

Não se sabe ainda em quais circunstâncias, mas o policial acabou sendo ferido com três tiros nas pernas, um no ombro e outro no lado esquerdo do tórax.

Uma viatura do 23º Batalhão levou o sargento até o Hospital das Clínicas, onde ele morreu.

O celular e a arma do agente não foram localizados, de acordo com a SSP (Secretaria da Segurança Pública). A moto dele não foi levada pelos bandidos, que ainda não foram identificados.

O sargento ingressou na PM em 27 de maio de 2002 e atualmente estava lotado no 7º Batalhão da corporação.

O caso foi registrado como latrocínio (roubo seguido de morte) no 91º DP, mas será investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa).

Entre janeiro e setembro deste ano, dez policiais militares de folga morreram ao reagirem a roubos no estado de São Paulo, segundo a corporação. Isso representa 66,6% do total de 15 agentes mortos, fora de serviço, no período.

No ano passado, quatro policiais militares de folga morreram ao reagir a assaltos, em 2021, foram oito e, no ano anterior, seis.

A polícia alerta que criminosos estão usando os app de encontro como isca para agendar local e hora para fazer vítimas.