PM morre após confronto com milicianos em Seropédica, na Baixada Fluminense; 19 suspeitos são presos

·2 min de leitura

RIO - Um policial militar morreu após ser baleado na cabeça durante um confronto entre PMs e milicianos em Seropédica, na Baixada Fluminense, na noite desta quarta-feira. O cabo Devid de Souza Matos, de 42 anos, era lotado no serviço reservado do 24º BPM (Queimados). O agente chegou a ser socorrido em estado grave para o Hospital municipal Pedro II, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, mas não resistiu ao ferimento.

Devid estava na PM há uma década e deixa uma viúva. Segundo a corporação, ainda não há informações sobre o sepultamento. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foi acionada para realizar a perícia e ficará responsável pelas investigações. Policiais do 24º BPM haviam se dirigido até a localidade conhecida como Canto do Rio, em Seropédica, para tentar desarticular uma quadrilha de paramilitares que vem atuando na região, mas acabaram recebidos por dezenas de criminosos fortemente armados, divididos em pelo menos nove carros. Os bandidos abriram fogo contra a guarnição, que reagiu à ofensiva.

De acordo com a corporação, um suspeito também morreu no tiroteio. Pelo menos 19 paramilitares já haviam sido detidos até as 22h desta quarta-feira.

Além de prisões feitas no próprio ponto onde ocorreu o confronto, criminosos que tentaram fugir foram localizados por homens do 27º BPM (Santa Cruz) na comunidade Jesuítas, em Santa Cruz, bairro vizinho a Seropédica. Ainda segundo a PM, foram apreendidos três fuzis, uma pistola, coletes balísticos, roupas táticas, carregadores e grande quantidade de munição, bem como outros equipamentos diversos e os nove veículos utilizados para atacar os policiais.

Nas últimas semanas, criminosos comandados por Luís Antônio da Silva Braga, o Zinho, vêm tentando tomar o controle de várias áreas na cidade de Seropédica, inclusive a região onde ocorreu o tiroteio. Até então, a localidade do Canto do Rio era comandada pelo bando de Danilo Dias Lima, conhecido como Tandera, miliciano mais procurado do estado na atualidade.

Na semana passada, Zinho — que é irmão de Wellington da Silva Braga, o Ecko, morto em junho durante uma operação da Polícia Civil — chegou a mobilizar um bonde com 60 homens para ampliar as ofensivas contra o rival em Seropédica, levando terror à população local. A guerra entre os dois paramilitares também vem sendo travada em outros pontos da Região Metropolitana, em especial na Baixada Fluminense.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos