PM morto por bandidos na Baixada foi o 18º agente assassinado este ano; corpo será enterrado nesta quinta

Flávio Trindade
·2 minuto de leitura

RIO — Está marcado para a manhã desta quinta-feira, no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, o sepultamento do policial militar Bráulio Cesário Batista das Neves, de 36 anos, morto a tiros após uma tentativa de assalto na noite de terça-feira, no Centro de São João de Meriti, na Baixada Fluminense. A Policia Civil trabalha com a hipótese de latrocínio para investigar o crime. Segundo testemunhas, os bandidos, que estavam em uma moto fugiram em direção à Pavuna. O agente foi o 18º policial militar assassinado em ações criminosas somente neste ano, segundo dados da PM.

Agentes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense fizeram uma perícia no local. Será feita a análise de imagens de câmeras das redondezas para ver o caminho feito pela dupla. A suspeita é de que sejam do complexo da Pedreira ou do Chapadão, que ficam a cerca de três e quatro quilômetros, respectivamente, de onde ocorreu o crime.

Em depoimento, a viúva do policial, que estava no carro no momento do crime e não se feriu, contou que ambos voltavam da casa de familiares, quando na Rua São João Batista, no Centro de São João de Meriti, uma moto fechou o carro dando ordens para o casal descer do veículo.

Braulio, que era cabo da PM, pegou sua pistola e reagiu, iniciando uma troca de tiros com os criminosos. Ele acabou atingido e foi socorrido por policiais militares do 21º Batalhão que faziam patrulha próxima ao local e levado para Casa de Saúde e Maternidade Terezinha de Jesus, mas não resistiu.

Em nota, a Polícia Militar informou que lamentava a morte do Cabo Braulio Cesário Batista das Neves, que ingressou na corporação no ano de 2012, era lotado na Unidade de Polícia Pacificadora do Salgueiro, na Zona Norte do Rio, e deixou esposa e duas filhas. O velório está marcado para começar às 8h, na capela três do cemitério, com restrições de público.