PM pede autorização para, fardado, pedir namorado em casamento na Parada LGBT

ALFREDO HENRIQUE
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 17.06.2019: A drag queen Tchaka abrindo a Coletiva de imprensa da 23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. (Foto: Ariadne Barroso/Photo Press/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O soldado Leandro Barcellos Prior, da Polícia Militar, encaminhou ao seu comando uma solicitação de uso de farda, para pedir a mão de seu namorado em casamento, durante a 23ª Parada LGBT, que acontece domingo (23) na capital paulista. Segundo o documento, emitido no dia 14, o soldado justifica ter escolhido a data da Parada LGBT pois, neste ano, são comemorados os 50 anos de "Stonewall". O cinquentenário relatado no documento se refere a uma série de manifestações feitas pela comunidade LGBT contra a ação de policiais de Nova York (EUA), que invadiram o bar "Stonewall Inn" e agrediram seus frequentadores, em 28 de junho de 1969. "Considerando, por fim, todas as situações que este policial militar passou e sofreu por homofobia institucionalmente, desde 21 de junho de 2018, este policial militar viu com relevante importância social e excelente oportunidade a instituição para ela evidenciar e acenar a sociedade paulista e brasileira que não compactua com a homofobia", diz trecho do documento assinado pelo soldado, que compõe o efetivo da Força Tática do 13º Batalhão da PM. A Polícia Militar e a SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB), foram questionados sobre qual decisão será tomada com relação ao pedido do soldado, mas não se manifestaram até a publicação desta reportagem.