PM prende suspeito de envolvimento no desaparecimento de indigenista e jornalista

Jornalista e indigenista estão desaparecidos desde sexta-feira. Foto: Reprodução.
Jornalista e indigenista estão desaparecidos desde sexta-feira. Foto: Reprodução.

A Polícia Militar do Amazonas prendeu um homem que é suspeito de estar envolvido no desaparecimento do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista e servidor da Funai Bruno Pereira. O homem é conhecido como Amauri e teria um histórico de ameaçar indígenas.

As informações são da jornalista Miriam Leitão, e foi divulgada durante o programa Bom Dia Brasil desta quinta-feira (8).

O indigenista Bruno Araújo Pereira, da Fundação Nacional do Índio (Funai), e o jornalista Dom Phillips, correspondente do jornal britânico The Guardian, estão desaparecidos. Eles faziam o caminho entre a comunidade Ribeirinha São Rafael e a cidade de Atalaia do Norte e desapareceram, no estado do Amazonas.

Buscas chegam ao terceiro dia

Nesta quarta-feira (8), equipes realizam o terceiro dia de busca pelo jornalista inglês Dom Phillips, colaborador do jornal The Guardian, e o indigenista Bruno Araújo Pereira, da Fundação Nacional do Índio (Funai), que desapareceram no Vale do Javari, na Amazônia.

A dupla fazia o trajeto da comunidade ribeirinha São Rafael até a cidade de Atalaia do Norte. As buscas são feitas pelo Exército e pela Marinha. Desde a tarde de segunda-feira (6), cerca de 150 combatentes de selva da 16º Brigada de Infantaria de Selva, sediada em Tefé (AM) participam da operação. Um helicóptero dá apoio às atividades.

á a Marinha enviou o Comando de Operações Navais, que utiliza helicópteros, motos aquáticas e embarcações. Além disso, 15 servidores da Funai e da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) foram enviados ao local, sob a coordenação do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

A dupla desapareceu quando fazia o caminho entre a comunidade Ribeirinha São Rafael e a cidade de Atalaia do Norte e desapareceram, no estado do Amazonas. A informação foi confirmada pela União das Organizações Indígenas do Vale do Javari e pelo Observatório dos Direitos Humanos dos Povos Isolados e de Recente Contato.

As buscas contam com apoio de “indígenas extremamente conhecedores da região", que percorrem os quase 200 km entre Atalaia do Norte e a comunidade de São Rafael.

O desaparecimento está sendo investigado pela Polícia Federal no Amazonas.