PM que faz segurança do prefeito de São Paulo troca tiros com suspeitos de assalto

·2 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um policial militar à paisana, de 41 anos, que faz parte da escolta do prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), reagiu a uma tentativa de assalto, por volta das 5h desta quinta-feira (4), na rua Buriti Alegre, na região da Penha, zona leste da capital paulista.

Segundo boletim de ocorrência, o PM caminhava até a estação de metrô indo para o trabalho quando foi abordado por dois homens em uma moto, que anunciaram o assalto. "Ele sacou sua pistola e trocou tiros com os suspeitos, que conseguiram fugir", diz trecho do texto. O policial não ficou ferido, segundo a polícia.

Também em nota, a gestão Nunes confirmou que o PM é integrante da Assessoria Policial Militar da prefeitura.

O caso foi registrado como tentativa de roubo no 24º DP (Ponte Rasa, na zona leste), que investiga os fatos.

Essa é a segunda vez em pouco mais de dois meses que PMs da escolta do prefeito reagem a assalto. Em 1º de setembro, policiais militares à paisana que fazem a segurança de Nunes reagiram a uma tentativa de assalto e mataram um suspeito em frente à casa do político, na região de Interlagos, zona sul da capital paulista.

Na época, a prefeitura também confirmou, em nota, que os agentes, um homem e uma mulher, são da equipe que trabalha na segurança de Nunes. A gestão municipal não disse se os policiais estavam à espera do prefeito. A ação foi registrada por câmeras de segurança da rua.

As imagens mostram os policiais em um veículo Toyota Corolla, em frente a casa de Nunes, quando foram abordados por dois homens em uma moto. Um deles acabou anunciando o assalto, segundo a polícia.

Os agentes reagiram e o garupa acabou atingido, também de acordo com a Secretaria da Segurança Pública. Uma das câmeras mostra o momento em que a policial da escolta do prefeito faz o disparo e seu companheiro sai em direção do homem atingido, que corre na contramão da rua. O piloto fugiu com a moto.

O piloto da motocicleta chegou a ser identificado, teve sua prisão decretada e é procurado pela polícia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos