PM sugeriu a chefe do tráfico que matasse major que investigava crime

As investigações contra o 9°BPM começaram após a divulgação de fotos em que traficantes armados posam ao lado do caveirão. (Foto: Reprodução)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Mensagens de 2014 e 2015 foram interceptadas pela polícia; PM avisava o traficante sobre operações na favela

  • O policial sugeriu que o criminoso forjas se um assalto para executar o major

Em mensagens interceptadas pela Polícia Federal entre 2014 e 2015, um policial militar do Bope (Batalhão de Operações Especiais) recomenda que o um chefe do tráfico mate um major que investiga o crime no Complexo da Serrinha, em Madureira, Zona Norte do Rio de Janeiro. O policial, que não foi identificado, passava informações sobre a rotina do Bope e alertava o traficante sobre operações que seriam realizadas na favela. As informações são do Jornal Extra.

Os diálogos aconteceram através do aplicativo de mensagens BlackBerry Message. Em 2014, o PM tentou convencer o traficante Walace de Brito Trindade, o Lacoste, a forjar um assalto para executar um oficial do 9º BPM (Rocha Miranda) que, na época, comandava uma ocupação policial na Serrinha.

Leia também

Eles chamam um ao outro de "meu rei": “Bom dia meu rei tudo tranquilo, ou esse brocha do [nome ocultado para preservar a identidade do major] ta zoando a comunidade????”, pergunta o PM no dia 13 de novembro de 2014. O criminoso responde: “Tá, meu rei nem fala”. É aí que o policial sugere que o major seja executado:

“Pow meu rei manda buscar ele em casa sem levantar suspeita. No sapatinho levanta onde mora e manda pescar. É o único jeito, ou então espera esse arrombado sair que já tá perto. Manda ver onde mora e quando ele for sair da casa, forja um assalto e rasga ele. "

Uma semana depois, no dia 20 de novembro, o policial retoma o assunto: “Tem que ser longe daí. Glock com silenciador e carregador goiabada de 100 tiros pow vai brincar com ele. Esse cara tá com marra de brabo. Manda ele pro caralho."

Lacoste responde: “Correto, vou ver. Tinha que arrumar uns caras pra fazer essa parada meu rei.” Na última mensagem trocada entre os dois sobre o tema, o PM assegura: "Não é difícil não."

O major, cuja identidade não foi revelada, continua ativo na Polícia Militar. Em outras mensagens, Lacoste combina com o informante uma data e local para a entrega da "meta", que é como eles se referem à propina. O policial do Bope alertou o traficante sobre operações na Serrinha diversas vezes:

“Meu rei a brasa tá quente, não dá mole aí não. Fica ligado que a P2 do Bope tá indo para rua fazer operação”, disse um PM em uma das mensagens.

Diversas investigações contra PMs e traficantes já foram abertas por consequência do conteúdo das mensagens interceptadas com autorização da Justiça. Na mais recente, nove policiais do 9° BPM foram denunciados por corrupção. Esse Batalhão já era investigado desde que foram divulgadas fotos de traficantes armados posando ao lado do caveirão.