PMs amotinados recusam acordo com governo no Ceará; Estado registra aumento de homicídios

·2 minuto de leitura
Policiais mantém greve e violência só aumenta no Ceará - Foto: José Leomar/SVM/Divulgação
Policiais mantém greve e violência só aumenta no Ceará - Foto: José Leomar/SVM/Divulgação

O clima de tensão parece não estar próximo de acabar no Ceará. Em 24h (entre o início da manhã de quarta-feira (19) até o início da manhã de quinta-feira (20)) foram registrados 29 assassinatos no estado, de acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública estadual.

Parte dos policiais militares segue amotinado, apesar das tentativas de negociação promovidas pelo governo cearense. Na madrugada desta sexta-feira (21) foram registras ao menos mais dois assassinatos.

Leia também

Segundo o portal G1, de 1º de janeiro a 18 de fevereiro deste ano, a média no Ceará foi de seis homicídios por dia, sendo o dia 18 de janeiro o mais sangrento: com 17 crimes letais.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Para tentar frear o cenário caótico instalado no estado, representantes dos policiais e uma comissão de senadores se reuniram na noite desta quinta-feira, mas os policiais militares decidiram recusar proposta do governo para encerrar a paralisação.

Reação das autoridades

Camilo Santana (PT) determinou que policiais civis fizessem patrulhas nas ruas e solicitou ao Governo Federal que fossem enviadas tropas das Forças Armadas e Força Nacional para garantir a segurança no estado.

Na noite desta quinta-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro disse que a atuação das Forças Armadas será rigorosa.

"Temos que ter responsabilidade. E o pessoal que está lá cometendo crimes nessas regiões... por um motivo justo, as Forças Armadas estão indo para lá. Têm que entender que o pessoal verde está chegando e o bicho vai pegar. Se é para tratar com flor essa galera, não fica enchendo o nosso saco. Vão pedir para outras instituições. Se estamos em guerra urbana, tem que mandar gente para lá para resolver esse problema", afirmou durante uma transmissão ao vivo em uma rede social.

Na última quarta-feira (18), o senador Cid Gomes foi baleado por policiais grevistas ao tentar furar um bloqueio em um quartel. O parlamentar, irmão de Ciro Gomes, passa bem e já teve alta da UTI.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos