Pobres na Índia podem sonhar, diz primeira presidente tribal do país

Droupadi Murmu, nova presidente da Índia, em encontro antes das eleições presidenciais, em Ahmedabad, Índia

NOVA DÉLHI (Reuters) - A primeira presidente da Índia de uma comunidade tribal marginalizada, Draupadi Murmu, disse nesta segunda-feira depois de tomar posse que sua eleição foi uma "conquista de todas as pessoas pobres do país".

A elevação de Murmu ao posto constitucional mais alto da Índia foi vista como um importante gesto de boa vontade do primeiro-ministro Narendra Modi para as comunidades que compõem mais de 8% de seus 1,4 bilhão de habitantes antes das eleições gerais marcadas para 2024.

Murmu, ex-professora e ministra de Estado do Partido Bharatiya Janata (BJP), de Modi, é a segunda mulher a ocupar o cargo de presidente, em grande parte cerimonial. Ela nasceu em uma família pobre da tribo Santhal do Estado oriental de Odisha.

Membros do Parlamento e das legislaturas estaduais elegeram Murmu na semana passada para um mandato de cinco anos depois que ela foi indicada pelo BJP.

"Minha eleição é a prova do fato de que os pobres da Índia podem ter sonhos e realizá-los também", disse Murmu, de 64 anos, em um discurso no Parlamento depois de tomar posse.

"É uma grande satisfação para mim que aqueles que foram privados por séculos e aqueles a quem foram negados os benefícios do desenvolvimento, esses pobres, oprimidos ​​e tribais estão vendo seu reflexo em mim."

Modi saudou a posse de Murmu como um "momento divisor de águas para a Índia, especialmente para os pobres, marginalizados e oprimidos".

O presidente da Índia atua como Comandante Supremo das Forças Armadas, mas o primeiro-ministro detém poderes executivos.

(Reportagem de Krishna N. Das)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos