Pode pedir música? Organização erra três vezes o hino da Mauritânia

·2 min de leitura
Mauritania's forward Aboubakar Kamara reacts during the Group F Africa Cup of Nations (CAN) 2021 football match between Mauritania and Gambia at Limbe Omnisport Stadium in Limbe on January 12, 2022. (Photo by Issouf SANOGO / AFP) (Photo by ISSOUF SANOGO/AFP via Getty Images)
Confusão na cerimônia antes da partida não permitiu que hino da Mauritânia fosse reproduzido. Foto: (ISSOUF SANOGO/AFP via Getty Images)

Em um dia complicado para a organização da Copa Africana de Nações, a Mauritânia foi a nova vítima das trapalhadas protagonizadas na competição continental. Na cerimônia antes da partida entre Mauritânia e Gâmbia, as caixas de som do estádio deveriam tocar o hino mauritano, mas não foi o que aconteceu.

Por três oportunidades, a canção reproduzida para os jogadores, comissão técnica e torcedores presentes no estádio não foi o hino do país, o que deixou os atletas furiosos. Aboubakar Kamara, capitão da Seleção da Mauritânia e atacante com passagens por Monaco e Fulham, e seus companheiros, na quarta tentativa da organização, recusaram o convite de cantarem a plenos pulmões o hino de seu país sem que o mesmo fosse reproduzido.

Leia também:

Na vez de ser reproduzido o hino da Gâmbia, país adversário na partida desta quarta-feira, tudo correu sem que houvesse qualquer problema na reprodução da canção.

A Gâmbia terminou vencendo a partida por 1 a 0 para cima da Mauritânia com gol de Ablie Jallow, marcado aos dez minutos do primeiro tempo da partida.

Mais confusão

Mais cedo, na partida entre Mali e Tunísia, válida pela primeira rodada do grupo F da Copa Africana de Nações, o árbitro Janny Sikazwe terminou a partida, duas vezes, antes que o relógio chegasse aos 90 minutos. Aos 40 minutos do segundo tempo, Sikazwe soou o apito final pela primeira vez. Os jogadores e membros da comissão técnica, indignados, apontavam para relógios sem entender a marcação do árbitro da Zâmbia.

Após reclamações e discussões, o árbitro decidiu retomar o confronto aos 42 minutos da segunda etapa, mas apitou, novamente, aos 44 minutos e 50 segundos, sem dar acréscimos ou sequer aguardar a marca dos 45 minutos. O que aconteceu? Nova confusão no estádio. Sikazwe teve de pedir reforço do policiamento para que fizessem sua escolta na saída do gramado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos