Podemos comunica que não vai participar do governo Lula

Representantes da bancada do Podemos na Câmara informaram ao futuro ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, em reunião encerrada no começo da madrugada desta quarta-feira, que não vão compor a base do novo governo, em um primeiro momento.

O partido pretende manter a independência tanto na Câmara como no Senado. Em conversas com petistas, o Podemos havia recebido a sinalização de que poderia ficar com o Ministério do Turismo.

A legenda, porém, decidiu recusar a oferta e respondeu que não pretende ocupar postos no primeiro escalão. Representantes do Podemos dizem que houve incômodo com os petistas, que teriam tratado o partido como mais uma sigla fisiológica.

O Podemos, que chegou a lançar no começo do ano a pré-candidatura presidencial do ex-juiz Sergio Moro, vive uma divisão interna, com parlamentares do Nordeste mais próximos ao PT. Já os deputados de outras regiões rejeitam uma aproximação com o governo Lula.

Na próxima Legislatura, o Podemos, que incorporou o PSC, terá 16 deputados federais e seis senadores.