'Poderíamos ter sido acionados antes', diz porta-voz dos Bombeiros

De acordo com o Corpo de Bombeiros, os brigadistas não informaram sobre o incêndio que atingiu um galpão de cargas que fica no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, no início da tarde desta quarta-feira. A corporação só soube através de um trabalho de busca ativa em redes sociais e emissoras de TV.

— No momento, a gente não tem vítimas atendidas no local. É importante frisar que a gente não foi acionado pela brigada de incêndio no princípio desse incêndio. A gente teve acesso a essas imagens pela TV e por outras pessoas. Agora o incêndio está controlado, não há risco de propagação, mas poderíamos ter sido acionados antes — disse o major Fabio Contreiras, porta-voz do Corpo de Bombeiros, à TV Record. — A empresa tem brigada de incêndio, tem viaturas e profissionais capacitados. No momento em que eles observam que um princípio de incêndio deixou de ser um princípio e já pode ser um pequeno, médio ou grande, a orientação sempre é acionar o Corpo de Bombeiros, que vai atuar dominando a situação e eles vão atuar dando apoio.

Fotos: Relembre outros incêndios em aeroportos do Rio

Uma densa fumaça tomou conta do galpão RioGaleão Log, no terminal de cargas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, nove quartéis foram acionados para combater o incêndio no local. Devido à quantidade de fumaça na região, o Centro de Operações Rio (COR) chegou a pedir que motoristas tivessem cuidado ao trafegar na Linha Vermelha.

— No princípio de incêndio, o primeiro combate pode ser feito pela brigada, que tem material para isso. Mas a gente ressalta que a corporação tem que ser acionada o quanto antes — completou o major.

Ilegais: 'Puxadinhos' irregulares de quiosques na Barra são removidos

Em nota, a corporação informou que "militares dos quartéis da Ilha do Governador, Irajá, Nova Iguaçu, Tijuca, Centro, Catete, do Grupamento de Operações Aéreas, da Diretoria Geral de Socorro de Emergência, do Grupamento Técnico de Suprimento de Água para Incêndios e do Centro de Suprimento e Manutenção da corporação foram empenhados".

Ainda na nota, a corporação esclareceu que "não foi acionada oficialmente para a ocorrência pela administração do aeroporto, via 193. Segundo relatos, a brigada de incêndio do Galeão tentou combater as chamas, sem o apoio da corporação, permitindo que o fogo se alastrasse. O Corpo de Bombeiros soube do incêndio graças à busca ativa nas diversas mídias e com isso conseguiu chegar a tempo de isolar as chamas no local aonde iniciaram, afastando o risco de propagação para a área da Base Aérea.Nas redes sociais, internautas contam que estão vendo a densa fumaça de diferentes pontos da cidade".

Em nota, o RIOgaleão informou que "a brigada do aeroporto atua em conjunto com o Corpo de Bombeiros para combater um incêndio em um módulo de um galpão, localizado próximo ao Terminal de Cargas. Por medida de segurança, a área foi isolada. Não há registro de vítimas. A concessionária informa que não há impactos na operação de pousos e decolagens, tão pouco na movimentação e integridade das cargas de importação e exportação do aeroporto".