Polícia ainda aguarda depoimento de motorista que teria invadido pista do BRT em acidente com morte e 34 feridos

Arthur Leal
·2 minuto de leitura

Pouco mais de 15 horas após um grave acidente envolvendo um BRT e um carro, em trecho entre as estações Mato Alto e Embrapa, na altura de Guaratiba, a Polícia Civil ainda aguarda o depoimento do motorista do veículo de passeio, que sumiu do local após a batida. Com ele, também estavam uma mulher e duas crianças, que ficaram feridas e foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros. Ainda não se sabe se eles eram da mesma família ou se tratava-se de um serviço de viagem por aplicativo.

— Estamos buscando identifica-lo, mas esperamos que ele se apresente, para que conte sua versão do acidente — contou a delegada titular da delegacia, Márcia Julião.

Após a colisão, uma mulher, identificada como Eliana Almeida de Carvalho, que estava dentro do ônibus, morreu. Ao todo, 34 pessoas ficaram feridas e foram levadas a cinco hospitais municipais diferentes. O consórcio do BRT afirma que o automóvel vermelho invadiu a pista exclusiva e provocou o acidente. A 43ªDP (Guaratiba), que investiga o caso, já ouviu, na noite desta quarta-feira, testemunhas e algumas das vítimas. Na altura onde o acidente aconteceu, na Avenida Dom João VI, quase não ha prédios, casas ou comércio. Por isso, os investigadores requisitaram à CET-Rio imagens de tráfego que possam ajudar a detalhar melhor como tudo aconteceu.

— O que sabemos é que o carro vermelho invadiu a faixa do BRT e o ônibus bateu nele. Em seguida, ele capotou para o lado direito, e o BRT tombou para o lado esquerdo. Estamos levantando todas as informações, já ouvimos testemunhas e algumas vitimas — acrescentou a delegada.

Uma das testemunhas disse à polícia que o condutor do carro vermelho era motorista de aplicativo, o que tambem ainda é investigado. A princípio, nenhum documento foi encontrado no automóvel. Caso alguém seja responsabilizado pelo acidente, pode responder por homicídio culposo, pela morte de uma mulher, e lesões culposas aos demais passageiros.

Procurado, o BRT Rio afirmou que está prestando apoio direto à família de Eliana, que morreu no acidente, e acompanha o estado de saúde das vítimas a partir das informações fornecidas pelos hospitais. A Secretaria Municipal de Saúde ainda não informou sobre o quadro clínico dos 34 feridos, que foram levados aos hospitais municipais Miguel Couto, no Leblon; Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca; Albert Schweitzer, em Realengo; Getúlio Vargas, na Penha; Pedro II, em Santa Cruz; e Rocha Faria, em Campo Grande.