Polícia de Alagoas cumpre 80 mandados de prisão contra envolvidos com facção criminosa de SP

Aline Ribeiro

SÃO PAULO - Força-tarefa conduzida pela Secretaria de Segurança Pública de Alagoas cumpriu, até a tarde desta quarta-feira, pelo menos 80 mandados de prisão de pessoas envolvidas com a facção criminosa paulista que domina os presídios brasileiros. Batizada de Flashback, a operação contou com apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública e do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas para prender integrantes da organização em oito estados.

A investigação teve início há sete meses no estado de Alagoas. Policiais identificaram na capital Maceió registros de execuções decididas nos chamados “tribunais do crime”, espécie de julgamento realizado por líderes da organização criminosa, que sentenciam inimigos à morte e assistem o assassinato em tempo real.

- Durante as interceptações, descobrimos que eles decidem as mortes em videoconferência, no que chamam de canal vermelho. As execuções, por esganadura e facada, são gravadas e transmitidas. Temos muito material apreendido para analisar numa segunda etapa - disse Wagner Mesquita, coordenador-geral de Combate ao Crime Organizado do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Segundo os investigadores, o principal núcleo da facção criminosa tem base no Mato Grosso do Sul. É dali que saem as ordens para o "tribunal do crime" para todo o Brasil, sob o comando de um criminoso conhecido por Maré Alta.

Segundo Mesquita, pelo menos dez dos 80 presos durante a operação deverão ser encaminhados para presídios federais. A operação deste quarta-feira mobilizou cerca de mil policiais civis e militares de Alagoas e de outros estados.