Atriz pornô diz que ficou em silêncio sobre caso com Trump após sofrer ameaça

(Atualiza com mais declarações da atriz pornô Stormy Daniels).

Washington, 25 mar (EFE).- A atriz pornô Stormy Daniels, que processou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para anular o acordo de confidencialidade que a impede de falar sobre uma relação entre os dois, afirmou que manteve silêncio sobre o caso porque recebeu uma ameaça de morte.

Daniels, nome artístico de Stephanie Clifford, explicou em entrevista ao programa "60 Minutes", da emissora "BCS", que um homem se aproximou dela em um estacionamento em Las Vegas em 2011, dizendo para que não comentasse sobre as relações sexuais com Trump cinco anos antes se não quisesse ter problemas no futuro.

"Deixe Trump para lá. Esqueça essa história", disse Daniels na entrevista, repetindo o que ouviu do homem que a ameaçou.

Na sequência, ele teria olhado para a filha da atriz, que estava no banco traseiro do carro, e continuado a ameaça. "É uma menina linda. Seria uma pena se algo ocorresse com a mãe dela", revelou Daniels.

O medo da ameaça foi o motivo pelo qual a atriz decidiu assinar, perto do fim da campanha presidencial, um acordo de confidencialidade de US$ 130 mil sobre seu romance com Trump.

"Estava preocupada com a nossa segurança", contou.

Durante a entrevista, Daniels detalhou que a única vez que fez sexo com Trump, quando ele tinha 60 anos e ela 27, foi de maneira "consentida, sem proteção e na suíte" do agora presidente.

"Ele estava tipo, 'uau, você é especial. Lembras minha filha. Bonita, arrumada...'", lembrou a atriz sobre seu encontro com o magnata.

Daniels é protagonista de um escândalo divulgado pelo "The Wall Street Journal" em janeiro. O jornal revelou que um advogado de Trump pagou os US$ 130 mil para evitar que ela contasse sobre a relação que teve com o presidente em 2006.

O acordo foi pago e assinado por Michael Cohen, advogado de Trump. Por esse motivo, Daniels entrou com uma ação em Los Angeles para invalidar o pacto já que o presidente não assinou o documento.

Sobre a decisão de explicar este episódio em rede nacional, a atriz disse que tomou essa atitude porque não queria que as pessoas a considerassem uma mentirosa e que assinou o acordo de confidencialidade por dinheiro.

"Estava perfeitamente bem sem dizer nada, mas não concordo com que me tratem como uma mentirosa e que as pessoas pensem que fiz isso por dinheiro", afirmou Daniels, que trabalha há 20 anos na indústria pornográfica americana.

Segundo o processo, a atriz afirma que teve um caso com Trump entre 2006 e 2007. Os dois teriam se encontrado várias vezes em um hotel de Beverly Hills, em Los Angeles.

Trump se casou com a primeira-dama dos EUA, Melania, em janeiro de 2005. O único filho dos dois, Barron, nasceu em março de 2006.

Daniels ganhou o apoio de Karem McDougal, ex-modelo da "Playboy", que entrou na Justiça para invalidar um acordo que também a impede de falar sobre a relação entre Daniels e o presidente, segundo o jornal "The New York Times".

McDougal também alega ter mantido um romance com Trump. EFE