Polícia apreende 1.200 aparelhos de 'gatonet' no centro de SP e 15 são detidos

ALFREDO HENRIQUE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A polícia prendeu 15 pessoas acusadas de vender ilegalmente decodificadores de TV a cabo, conhecidos popularmente como "gatonet", entre as 10h30 e o fim da tarde desta quarta-feira (12), na região central da capital paulista. Também foram apreendidos 1.200 aparelhos do tipo. 

A polícia afirmou que os decodificadores eram vendidos entre R$ 600 e R$ 1.000. Os presos foram indiciados por crime contra telecomunicações. Eles pagaram fiança de R$ 1.050 e vão responder ao caso em liberdade.  

A 1ª Delegacia Seccional afirmou que 50 investigadores foram à região da rua Santa Ifigênia, famosa por vender equipamentos eletrônicos, para cumprir seis mandados de busca e apreensão em oito centros de comércio popular. 

O objetivo da ação, de acordo com a polícia, foi coibir a venda dos "gatonets", além de outros produtos de origem duvidosa como cabos e antenas que captam sinais de forma irregular    

Em julho do ano passado, o Agora mostrou que o "gatonet" evoluiu e a pirataria aumentou. 

A ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura) estimou um prejuízo de R$ 9 bilhões com a pirataria em 2019, sendo boa parte de impostos que deixam de ser recolhidos.