Polícia apreende celulares de rapaz e modelo que estavam no quarto de onde MC Kevin caiu

·2 minuto de leitura

O delegado Henrique Damasceno, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), que investiga a morte do cantor Kevin Nascimento Bueno, o MC Kevin, apreendeu os telefones celulares de Bianca Domingues e de Victor Elias Fontenelle. Os dois estavam com o funkeiro no quarto 502 de um hotel na orla da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, na tarde do último domingo, quando Kevin caiu da varanda e acabou não resistindo aos ferimentos. Foram apreendidos também os celulares de Kevin, Deolane e de outro amigo do funkeiro — no total, cinco aparelhos estão com a polícia.

Segundo os depoimentos, o artista estava passeando no calçadão com o amigo quando os dois conheceram a modelo fitness em um quiosque e a levaram para a suíte. O objetivo da polícia ao apreender os aparelhos é apurar se o conteúdo dos celulares corrobora a versão apresentada pelos jovens na delegacia.

Ainda de acordo com os depoimentos prestados por Bianca e Victor, os três mantiveram relações sexuais até que, pouco antes das 19h, MC Kevin teria ficado receoso sobre uma possível chegada de sua mulher, a advogada Deolane Bezerra, que estava hospedada no quarto 1302 do mesmo hotel. O funkeiro, então, teria tentado pular, pela varanda, para o apartamento abaixo.

O artista caiu de uma altura de pelo menos 18 metros próximo à piscina. Socorrido por equipes do quartel do Corpo de Bombeiros do bairro, o jovem foi levado ao Hospital municipal Miguel Couto, na Gávea, na Zona Sul, mas não resistiu aos ferimentos.

Na tarde desta segunda-feira, Bianca chegou a usar as redes sociais para afirmar que a morte de MC Kevin “foi um acidente”. Em seu perfil no Instagram, ela escreveu ter visto “tudo”, afirmou não acreditar no que estava acontecendo e pediu orações. "Não estou nada bem. Ainda estou em choque. Estou triste demais, não tem nome para isso", disse em entrevista a O GLOBO.

No inquérito instaurado na 16ª DP já foram ouvidas pelo menos oito pessoas. Além da modelo, de Victor e da viúva, amigos e homens que trabalham na equipe da produção de shows do artista prestaram declarações como testemunhas. Algumas das pessoas citaram que o funkeiro ingeriu drogas e bebida alcoólica durante o fim de semana, e um exame toxicológico no corpo do artista foi solicitado a profissionais do Instituto Médico Legal (IML). Uma perícia também foi realizada pelo Instituto Carlos Éboli nos dois quartos do hotel e ainda na área onde o funkeiro caiu.

Na madrugada de domingo. Mc Kevin se apresentou em uma boate na Zona Norte da cidade. De lá, ele foi com cerca de dez pessoas para a casa de um amigo, também cantor de funk, na Barra da Tijuca. No início da tarde, o grupo retornou ao hotel onde estava hospedado, na orla.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos