Polícia apura agressão e bullying a aluna de 8 anos que desmaiou após mata-leão em banheiro de escola

A agressão a uma aluna de 8 anos no banheiro de uma unidade de ensino, em Cuiabá, em um suposto caso de bullying está sendo apurada pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica). O caso ocorreu na última sexta-feira, quando a criança desmaiou após levar um golpe de mata-leão, na Escola Estadual Leônidas Antero de Matos. A autora da agressão é outra estudante.

Retirado de pauta: STF adia julgamento do marco temporal de terras indígenas

Transportados de forma irregular e sem licença: PRF apreende 10 'monstros aquáticos' em MS

Um vídeo gravado por uma das alunas que estava no banheiro mostra as duas meninas brigando e, em determinado momento, outra estudante entra no meio e agarra a vítima pelo pescoço, dando um golpe. Em seguida, a criança desmaia no chão do banheiro. Uma delas grita: 'Ih morreu", e a gravação é encerrada.

A vítima não chegou a ser levada ao hospital, acordando momentos depois ainda no banheiro. A mãe da menina afirmou que há algum tempo a filha vinha sofrendo bullying na escola e que tinha a orientado a comunicar à professora.

— Ela me falava que as meninas faziam piadas com ela, diziam que ela era feia, que o cabelo dela era feio, e isso para uma criança em sala de aula é muito doloroso. Não imaginava que pudesse chegar a esse ponto — disse a mãe.

Youtuber: Motociclista influencer morre após sofrer acidente em Curitiba

A situação piorou depois que a filha faltou a algumas aulas para o tratamento de uma pneumonia. Segundo a mãe, cada vez que ela faltava, os insultos pioravam e que não houve intervenção da escola.

A mãe ainda reclama que a escola não entrou em contato com ela em nenhum momento para comentar sobre o ocorrido. Ela soube da agressão pela filha e depois pelo vídeo, que começou a circular nos grupos de WhatsApp.

— Achei um absurdo a escola não ter me procurado para relatar o que tinha acontecido e também não ter tomado nenhuma providência — contou a mãe.

Vídeo: Polícia ambiental apreende 60 balões em cinco meses, em SP

A menina foi transferida de escola após a agressão. A mãe procurou a polícia e registrou uma denúncia, no último domingo.

A polícia então abriu inquérito para apurar o caso, por meio da Deddica e da Delegacia Especializada do Adolescente (DEA).

A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) afirmou, em nota, que para evitar casos de agressão em escolas tem investido em palestras de orientação, além de dinâmicas com os estudantes e professores e que está apoiando a polícia e a família na identificação dos envolvidos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos