Indicíos apontam para ataque terrorista em supermercado na França, diz Macron

Bruxelas, 23 mar (EFE).- O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta sexta-feira que todos os indícios apontam que o homem que disparou contra vários policiais e fez reféns em um supermercado no sul da França tinha motivações terroristas.

As declarações foram feitas por Macron em uma entrevista coletiva conjunta ao lado da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, após o fim da cúpula de líderes da União Europeia (UE), realizada em Bruxelas.

Pouco depois da entrevista, fontes confirmaram à Agência Efe que o autor do ataque foi morto pelas forças de segurança.

"A ação ocorreu por volta das 14h25 (horário local), e o terrorista foi morto", afirmaram as fontes. No ataque, dois agentes do Grupo de Intervenção da Gendarmaria Nacional (GIGN) ficaram feridos, assim como um policial que seguia como refém.

Macron não apresentou um balanço oficial de vítimas, mas afirmou que o grupo antiterrorismo da Promotoria de Paris divulgará o mais rápido possível informações sobre o caso em Carcassone.

Já Merkel disse que a Alemanha está do lado da França e que fará o possível para auxiliar no esclarecimento do caso.

Em outra entrevista coletiva, o presidente da Comissão Europeia (CE), Jean-Claude Juncker, também expressou apoio ao povo francês.

"A luta contra terrorismo é difícil e longa. Vamos continuar lidando essa batalha. Juntos venceremos", afirmou. EFE