Justiça belga acusa tunisiano detido em Antuérpia de terrorismo

Bruxelas, 24 mar (EFE).- A Procuradoria Federal da Bélgica acusou nesta sexta-feira Mohammed R., detido ontem em Antuérpia após dirigir em alta velocidade por uma rua de pedestres com seu veículo e provocar pânico entre os transeuntes, de "tentativa de assassinato com caráter terrorista" e de infringir a legislação de armas.

Em comunicado, a Procuradoria detalhou que se trata de um homem de nacionalidade tunisiana, ao invés de francesa, como foi dito ontem nas primeiras informações sobre o fato.

Segundo a polícia, os militares interceptaram o veículo e encontraram armas brancas, uma escopeta antidistúrbios e uma vasilha com "conteúdo indeterminado" no porta-malas.

O serviço secreto francês, citado por veículos de imprensa franceses, já havia afirmado ontem que não se tratava de um cidadão francês, mas de um tunisiano com residência na França.

A Procuradoria informou hoje que o sujeito foi detido e acusado de tentativa de assassinato e lesões de caráter terrorista, assim como de "infringir" a legislação de armas, mas não ofereceu mais informações ao alegar que a investigação ainda está em curso.

As autoridades também não informaram sobre o conteúdo da vasilha que o homem levava no porta-malas.

A confusão gerada pela própria Procuradoria também se refletiu nos veículos de imprensa locais, como o jornal "Le Soir", que mencionou a hipótese de que o detido estaria circulando "por erro" na rua comercial e perdeu o controle do veículo por estar sob os efeitos de bebida alcoólica.

O incidente não deixou feridos, mas semeou o pânico na cidade por sua similaridade com outros ataques, como o que aconteceu na quarta-feira no centro de Londres, cuja autoria foi atribuída ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

O incidente aconteceu às 10h45 da manhã (horário local) e, segundo a emissora pública flamenga "VRT", o autor estava dormido no carro, com placa francesa, quando foi detido.

Outros meios de comunicação locais assinalaram que o estado de embriaguez do indivíduo não permitiu que a polícia pudesse interrogá-lo imediatamente.

A "VRT" acrescentou que o detido era conhecido pela polícia francesa por posse ilegal de armas, mas não por radicalização jihadista.

Além das armas e da vasilha, a polícia encontrou um jaqueta militar que o homem aparentemente tinha roubado do pai de um amigo, ex-militar.

O chefe da polícia de Antuérpia, Serge Muyters, explicou ontem que "os pedestres tiveram que pular para os lados da calçada para evitar que fossem atropelados pelo carro". EFE