Polícia Civil corrige para 23 o número oficial de mortos na Vila Cruzeiro

RIO DE JANEIRO, RJ, 25.05.2022 - Mãe de Gabriela se emociona no enterro da filha no cemitério São Francisco Xavier, no bairro Caju, na zona portuária do Rio de Janeiro, na quarta-feira (25). Gabriela morreu vítima de bala perdida durante a Operação da Vila Cruzeiro, na zona norte do Rio de Janeiro. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
RIO DE JANEIRO, RJ, 25.05.2022 - Mãe de Gabriela se emociona no enterro da filha no cemitério São Francisco Xavier, no bairro Caju, na zona portuária do Rio de Janeiro, na quarta-feira (25). Gabriela morreu vítima de bala perdida durante a Operação da Vila Cruzeiro, na zona norte do Rio de Janeiro. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil corrigiu para 23 o número oficial de mortos resultantes da operação deflagrada na terça-feira (24) na Vila Cruzeiro. As unidades de saúde para onde os corpos foram levados vinham confirmando as mortes ao longo da semana --a última informação foi de que já havia 26 mortos.

A corporação diz, porém, que três dessas mortes não ocorreram na operação da Vila Cruzeiro, mas em meio a um confronto entre traficantes no morro do Juramento, a pouco mais de 5 km do local onde houve a operação da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal.

O jornal Folha de S.Paulo obteve dois boletins de ocorrência lavrados após a operação na Vila Cruzeiro, dando conta de 18 mortes. Dez foram registradas como mortes decorrentes de intervenção policial em um suposto confronto num local conhecido como Pedra do Sapo. Doze policiais militares se declararam envolvidos nesse tiroteio.

As outras oito mortes citadas em um dos boletins foram registradas como homicídio comum e se referem a corpos levados pelos próprios moradores ao Hospital Getúlio Vargas e outras unidades de saúde, que não têm meios para atestar a origem dos corpos.

Uma das mortes que aparecem nesse boletim é a de Higor Lima de Oliveira, que, segundo a Polícia Civil, não morreu na Vila Cruzeiro.

A corporação identificou, até o momento, 22 dos mortos na favela após a operação. São eles:

Gabrielle Ferreira da Cunha

Leonardo dos Santos Mendonça

Anderson de Souza Lopes

Diego Leal de Souza

Emerson Stelman da Silva

Maycon Douglas Alves Ferreira da Silva

Carlos Henrique Pacheco da Silva

Tiugo dos Santos Bruno

Edmilson Felix Herculano

Izaias Vitor Marques Nobrega

Roque de Castro Pinto Junior

Douglas Costa Incaio Donato

Mauri Edson Vulcão Costa

João Carlos Arruda Ferreira

Ricardo José Cruz Zacarias Junior

Patrick de Andrade da Silva

Denis Fernandes Rodrigues

Eraldo de Novaes Ribeiro

Nathan Werneck Borges Lopes

Everton Nunes Pires

João Victor Moraes da Rocha

Carlos Alexandre de Oliveira Rua

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos