Polícia Civil do DF investiga possível desvio de conduta de agentes em ataques golpistas

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil do Distrito Federal disse que abriu investigação interna com a finalidade de responsabilizar os policiais civis que porventura tenham participado dos atos antidemocráticos ocorridos na capital federal.

"Essa medida faz parte de um conjunto de ações necessárias para que, nos limites constitucionais e legais das atribuições da polícia civil, a ordem seja recuperada e reestabelecida", disse.

Já a Polícia Militar disse que a instauração de Procedimento Apuratório Disciplinar irá ocorrer nesta sexta-feira (13).

Em entrevista à Folha de S.Paulo, o interventor Ricardo Cappelli já havia adiantado que abriria investigação nesta semana.

"A Corregedoria vai abrir inquérito nesta semana para apurar essas condutas. A gente não pode generalizar. Desde que eu assumi, tenho tido apoio de muitos oficiais --oficiais valorosos. A imensa maioria da corporação tem dado um apoio muito importante", disse Cappelli, na ocasião.

Manifestantes bolsonaristas com pedidos antidemocráticos entraram na Esplanada dos Ministérios no domingo (8), invadiram áreas do Congresso, do Planalto e do STF (Supremo Tribunal Federal), e entraram em confronto com a PM.

As forças de segurança conseguiram desocupar os prédios públicos invadidos na praça dos Três Poderes, usando bombas de efeito moral e spray de pimenta.

Helicópteros da Polícia Militar e da Polícia Federal também agiram, sobrevoando a praça e atirando bombas de gás. A tropa de cavalaria também foi acionada, além de carros blindados.

O vandalismo contra as sedes dos Três Poderes levou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a decretar a intervenção federal na área de segurança do Distrito Federal.

De acordo com o ministro da Justiça, houve descumprimento do plano de segurança para o dia por parte do governo do Distrito Federal.