Polícia Civil explica conclusões do inquérito sobre ataque em creche de Santa Catarina

·1 minuto de leitura

RIO -A Polícia Civil concluiu o inquérito policial sobre o ataque a creche em Saudades, em Santa Catarina. O delegado Jerônimo Marçal Ferreira, que acompanhou o caso, informou que o autor confessou o crime, agiu sozinho e que vinha planejando a ação desde o ano passado. A informação foi divulgada em coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira.

Ele permanece preso preventivamente na unidade prisional até o julgamento.O inquérito deve ser encaminhado ainda hoje ao Ministério Público de Santa Catarina.

Segundo o delegado, ele não tinha uma relação com as pessoas que foram assassinadas. Ele queria atacar o maior número de pessoas e tinha planejamento de tirar a própria vida em seguida. No dia do crime, o autor chegou a ir trabalhar, passou em casa e foi em direção a escola.

- Ele agiu sozinho e tinha pressa, pois queria matar o máximo de pessoas, afirmou o delegado.

O governo do estado de Santa Catarina tomou providências visando a segurança de crianças e adolescentes da rede estadual. Segundo delegado geral da Polícia Civil, Paulo Koerich, a Secretaria de Educação implementará a segurança orgânica de 1.064 escolas ou educandários do Estado, visando a segurança dos alunos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos