Polícia Civil faz operação para prender traficantes de Duque de Caxias que atuam na Região dos Lagos

Rafael Nacimento de Souza

RIO — A Polícia Civil realiza na manhã desta terça-feira uma operação para desarticular uma quadrilha de tráfico de drogas que atua em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, e em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos. Foram expedidos 13 mandados de prisão na ação intitulada "Latebras"— esconderijo em latim. Os agentes estão no Parque das Missões e no Parque Beira Mar, em Caxias.

Durante cinco meses a 132ª DP (Arraial do Cabo) investigou traficantes que atuavam na cidade. No curso das investigações, identificou que criminosos de Caxias também agiam na Região dos Lagos. Inclusive, o chefe do tráfico de drogas de Arraial do Cabo — Hemerson Silveira de Souza — tinha como esconderijo o Parque das Missões e Parque Beira Mar de onde comandava o crime em Arraial. O homem é um dos alvos da operação desta terça.

Além dele, Lindomar Gregório de Lucena, o Babuíno; Marcílio Alves do Nascimento e Cristino Gregório de Lucena, o Zé Galinha, têm mandados de prisão expedidos contra eles. Todos, segundo a Polícia Civil, são traficantes que atuam em Duque de Caxias e apoiam o crime organizado na Região dos Lagos.

Os investigadores conseguiram descobrir a rota do tráfico de drogas entre as comunidades da Baixada e a favela da Figueira, em Arraial.

— Com um trabalho de inteligência foi possível identificar que havia uma parcimônia entre os traficantes de Caxias e de Arraial. Temos informações suficientes para afirmar que ele (o Hemerson) daqui comanda o trágico lá. Sabemos que drogas e armas saiam de Caxias e tinham como destino Arraial do Cabo — disse o delegado Renato Mariano, titular da 132ª DP.

— Essa é a segunda fase da operação que fizemos na quinta-feira passada, em Arraial, que prendemos 18 pessoas. Durante a investigação, seguindo o chefe do trágico de lá (o Hemerson) e chegamos em comunidades da Região Metropolitana do Rio onde ele se esconde e contava com o apoio de outros bandidos. Com isso, a investigação acabou migrando para o Rio. Identificamos 13 alvos que fazem parte dessa organização criminosa — completou Mariano.

Os mandados de prisão foram expedidos pela Vara Única da Comarca de Arraial do Cabo. Os presos vão responder por tráfico de drogas e associação para o trágico.

Participam da ação agentes do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), do Departamento Geral de Polícia do Interior (DGPI) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).