Polícia Civil faz operação para prender suspeitos de envolvimento na morte de investidor de criptomoedas

·1 minuto de leitura

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira uma operação para prender quatro homens que estão ligados diretamente com o assassinato do investidor e influenciador digital Wesley Pessano Santarém, de 19 anos, morto a tiros em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, no último mês. Um dos suspeitos, identificado como Thiago Galdino, já está preso.

Agentes da força-tarefa criada para investigar a execução do homem estão em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Os suspeitos estavam em um segundo carro que deu apoio na execução. A Polícia Civil quer entender o que motivou a morte do rapaz, e uma queima de arquivo não é descartada.

Como o EXTRA mostrou há três semanas, a Polícia Civil montou uma força-tarefa para investigar a morte do investidor, além de outros crimes que podem estar ligados ao mercado de criptomoedas em Cabo Frio, também na Região dos Lagos. Os agentes não descartam que o rapaz executado estivesse envolvido numa disputa entre grupos concorrentes que investem em moedas virtuais ou que ele possa ter causado prejuízo a uma pessoa. Outra hipótese levantada é a de queima de arquivo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos