Polícia Civil faz perícia em local onde inspetor teria sido morto na Cidade de Deus

·1 minuto de leitura

Agentes do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) fizeram na tarde desta terça-feira uma perícia na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio, onde o inspetor da Polícia Civil Guilherme Silva Torres, de 47 anos, teria sido morto, nesta madrugada. Durante a ação, policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) reforçaram o policiamento na região, o que gerou um clima de tensão nos moradores. Nas redes sociais, internautas publicaram fotos e vídeos de agentes armados e caveirões circulando pelas vias da comunidade.

O corpo do policial civil, que era lotado na 4ª DP (Praça da República), foi encontrado na madrugada desta terça-feira, próximo a um hospital no Tanque. Segundo informações iniciais da Polícia Militar, ele foi assassinado dentro da Cidade de Deus e traficantes sequestraram um prestador de serviços para retirar o corpo do local e deixar na unidade de saúde. A testemunha, que afirmou ter sido obrigada a levar a vítima, fez a denúncia. A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) investiga a morte do policial, que havia retornado ao Brasil havia poucos meses.

De acordo com a Polícia Civil, Guilherme deixou o plantão pouco antes das 20h e, como de costume, voltou para casa de metrô. Os investigadores acreditam que ele possa ter sido sequestrado e levado para dentro da favela, onde o crime aconteceu. Agora, a DHC tenta entender o que motivou o assassinato.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos