Polícia Civil faz perícia em apartamento onde adolescente foi atingida por bala perdida no Humaitá

Policiais da 10ª DP (Botafogo) e do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) fizeram, na tarde desta segunda-feira, uma nova perícia no endereço da adolescente de 13 anos atingida por uma bala perdida no Humaitá, Zona Sul do Rio, na noite da virada de ano. Segundo a família da vítima, a polícia também foi ao local para tomar novos depoimentos da vítima e da avó da garota, que não estava no endereço no dia 1º de janeiro, quando o primeiro trabalho de perícia foi realizado. Os agentes chegaram ao prédio, na Rua Capistrano de Abreu, por volta das 16h40.

Segundo a mãe da garota, a polícia informou que a filha foi atingida de raspão por um tiro de fuzil.

— A primeira informação que tivemos foi no hospital. Quando constataram que era um ferimento por arma de fogo, tiveram que acionar a polícia. Um pouco depois disso, fomos informados que seria um tiro de fuzil — afirmou.

Após o disparo, a jovem foi levada para o Hospital Copa D'Or, em Copacabana, onde recebeu atendimento e foi liberada. O caso é investigado pela 10ª DP (Botafogo).

A menina foi atingida pouco depois da meia-noite do dia 1º. A suspeita é que o tiro tenha partido do Morro Santa Marta, em Botafogo, que fica próximo ao apartamento. Um projétil foi encontrado no chão da sala.

Segundo a Polícia Militar, agentes do 19º BPM (Copacabana) foram acionados para verificar a entrada da menina na unidade de saúde, e constataram o fato. O caso foi registrado na 12ª DP (Copacabana) e encaminhado para a 10ª DP (Botafogo), que faz diligências para apurar a autoria do disparo.