Polícia Civil investiga Pyong Lee por assédio sexual dentro do 'BBB20'

Ricardo Rigel
1 / 2

pyong lee bbb20 paredão.jpg

A delegada Catarina Noble, titular da Delegacia de atendimento à mulher (Deam - Jacarepaguá) instaurou um novo inquérito para investigar um possível assédio sexual cometido pelo hipnólogo Pyong Lee com as participantes Flayslane e Marcela Mc Gowan do "Big Brother Brasil 20".

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

"Nós tomamos conhecimento por meio das redes sociais e da TV de que o Pyong teria tido atitudes durante a última festa que aconteceu dentro do reality que podem ser consideradas como assédio sexual. Não estou afirmando que isso aconteceu, mas vamos apurar tudo. Esse tipo de comportamento de alisar as moças sem o consentimento delas deve ser combatido dentro e fora do programa", diz a delegada.

Leia também

Ainda de acordo com a delegada, todos os participantes envolvidos no caso do "BBB20" serão ouvidos assim que forem eliminados do jogo:

"Nós entendemos que essa espera para ouvir tanto o Pyong como as moças envolvidas não afetará a investigação. Imagino que no prazo de três meses, que é o tempo de terminar o programa, todos sejam ouvidos e a investigação seja concluída", explica.

Catarina Noble aproveitou a entrevista ao EXTRA para fazer um alerta às mulheres:"Quando um homem passa as mãos ou as partes íntimas dele em uma outra mulher, sem que ela tenha consentido, ele pode ser enquadrado na lei de assédio sexual. Com pena prevista de 1 a 5 anos de prisão."

Outro lado

Procurada, a assessoria de imprensa do hipnólogo acredita que a investigação será favorável ao cliente, já que o clima no confinamento é de normalidade.

"Soubemos do inquérito através da matéria, mas estamos convencidos de que todas as pessoas envolvidas com a suposta situação já deixaram claro que não se sentiram incomodadas, além da relação entre eles ter continuado em amizade e muito positiva. Caso a instauração de inquérito se confirme, acreditamos que chegarão a essa mesma conclusão", diz a nota.

Relembre a polêmica

Na madrugada do último domingo, dia 9, Pyong, ao dançar com Flayslane, chamou a atenção de fãs do realty, que o acusaram de apalpar a cantora sem sua autorização. Além disso, o hipnólogo também tentou beijar Marcela, que reclamou: "Pyong! Para! Tá doido? O que é isso?".

A produção do reality convocou Pyong no confessionário e lhe deu uma advertência.

"Ontem, na festa, seu comportamento causou preocupação. Você foi inconveniente com as meninas da casa. Isso aqui é uma advertência para que esse tipo de comportamento não se repita. Estamos zerando suas estalecas e tirando mais 500 pelo seu comportamento".

Outro brother investigado

Alem de Pyong, a Deam abriu inquérito para apurar o comportamento de Petrix Barbosa. Pesam contra o ginasta, segundo eliminado do "BBB20", três acusações de assédio feitas pelo público do programa. Uma com Flayslane, em que encostou partes íntimas na cabeça da paraibana, e duas envolvendo Bianca Andrade, a Boca Rosa. Com a influencer, fãs acusaram o ginasta de se aproveitar em um abraço e após fazer uma massagem nas costas da influencidadora.

Petrix prestou depoimentos na delegacia e as participantes que supostamente foram assediadas, como Bianca Andrade e Flayslane, serão ouvidas assim que deixarem o confinamento.