Polícia Civil do Pará investiga pastor por denúncias de abuso sexual

·1 min de leitura

RIO - Quatro jovens de Altamira, no Pará, denunciaram o pastor evangélico José Dorivaldo Teixeira por abuso sexual. A primeira denúncia foi feita no dia 3 de novembro. Hoje com cerca de 19 e 20 anos de idade, as vítimas dizem que os episódios de abuso sexual aconteceram quando elas ainda estavam na infância e adolescência.

De acordo com a advogada de uma das vítimas, Karem Luz, da Rede Protege Brasil, relatos de abusos envolvendo o pastor eram conhecidos pelas jovens da Igreja do Evangelho Quadrangular de Altamira. Uma das duas clientes que a advogada defende teria sofrido abuso ainda em 2014.

— Eram casos recorrentes e visíveis entre as meninas do grupo de jovens da Igreja. Surgiram boatos entre elas e uma chegou a falar com a mãe, que, na época, não acreditou — diz a advogada.

Ainda de acordo com Luz, um pedido de prisão preventiva foi solicitado à justiça pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) de Altamira.

Ao Globo a Polícia Civil do Pará comunicou que diligências estão sendo realizadas para apurar o caso, investigado pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Altamira.

A reportagem tentou entrar em contato com a Igreja do Evangelho Quadrangular, mas não obteve resposta. Segundo o jornal O Liberal, em um documento atribuído à Igreja uma decisão tera estabelecido o afastamento do pastor de suas funções desde o dia 8 de novembro. A reportagem não conseguiu localizar o pastor José Dorivaldo Teixeira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos