Polícia Civil prende braço direito de Ecko, chefe da maior milícia do Rio

RIO - Foi preso, na manhã deste domingo (17), o miliciano Cristiano Lima de Oliveira, conhecido como Jiraya. Investigado há anos pela Polícia Civil, ele era considerado o braço direito do chefe da maior milícia do Rio, Wellington da Silva Braga, o Ecko. Com ele, foi apreendida uma glock com numeração raspada.

A prisão ocorreu na casa do criminoso, em Paciência, na Zona Oeste, que não resistiu. Segundo a Polícia Civil, o imóvel era semelhante a um bunker.

A operação é fruto de uma força-tarefa da Draco (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas), da Subsecretaria de Inteligência, da 59ª DP (Duque de Caxias) e da 64ª DP (Vilar dos Teles).

Número dois na hierarquia da organização criminosa conhecida como Liga da Justiça, Jiraya comandava a Favela de Antares, em Santa Cruz, onde controlava o funcionamento de estabelecimentos e serviços, como postos de combustíveis e transporte irregular.

Jyraia é suspeito de envolvimento na morte do policial civil Rodrigo Guadagno dos Santos, de 31 anos, no dia 13 de maio. O agente, do Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR), investigava as ações da milícia na região dominada por Ecko. Rodrigo foi assassinado com um tiro no peito durante uma diligência próximo à Favela de Antares.