Polícia Civil prende falso médico condenado por morte de empresária, em 2013, após procedimento com silicone industrial

·1 minuto de leitura

Policiais civis da Delegacia de Polícia Interestadual - Divisão de Capturas (DC-Polinter) prenderam na noite desta sexta-feira, dia 12, o falso médico condenado pela morte de uma empresária após procedimento em clínica clandestina. Dihone Silva Gonçalves foi localizado após ação de inteligência e monitoramento da corporação pelo crime em 2013, em São Luís do Maranhão, no qual foi condenado a mais de 11 anos de prisão. Ele estava trabalhando como gerente em uma pizzaria na Barra da Tijuca, onde foi preso.

O falso médico, sem formação médica, atuava como cirurgião plástico numa clínica clandestina de estética. Nos procedimentos realizados nas clientes, ele usava próteses de silicone industrial. Uma das mulheres atendidas foi a empresária Gleicyane Ramos Fernandes, na época com 29 anos, que morreu após uma parada cardíaca.

Com o caso, outras vítimas foram identificadas ao procurarem a delegacia para denúncias. Dihone foi condenado a mais de 11 anos de prisão.

Segundo a Polícia Civil, Dihone levava uma vida normal no Rio do Janeiro, com um emprego de gerente em uma pizzaria na Barra, Zona Oeste da cidade. Ele fugiu ao ser solto depois de ficar seis meses preso preventivamente. O trabalho de inteligência para localizá-lo foi coordenado pelo delegado titular da DC-Polinter, Mauro Cesar. e pelo delegado assistente Kristiano Jotta.