Polícia Civil recupera mais de uma tonelada de cabos de energia elétrica roubados e dezenas de refletores de luz

·2 minuto de leitura

Policiais civis da 41ª DP (Tanque) recuperaram nesta quinta-feira mais de uma tonelada de cabos de energia elétrica roubados e dezenas de refletores. A apreensão foi feita na comunidade Três Pontes, em Paciência, na Zona Oeste da cidade. De acordo com a polícia, os fios pertencem à Light e os refletores, à Rioluz.

Agentes foram até o local com a intenção de cumprir um mandado de prisão, mas ao chegarem foram surpreendidos pela grande quantidade de fios em frente a um ferro-velho. Após cumprirem o mandado de prisão contra Marcus Vinicius da Silva Matos, os policiais voltaram ao ferro-velho e descobriram que no interior do estabelecimento, além de cabos de energia roubados, havia ainda dezenas de refletores, um transformador, e diversos cadernos de anotações da milícia com informações. De acordo com a polícia, foi apreendido vasto material de "gatonet".

Postes apagados

Como O GLOBO mostrou na semana passada, a Linha Vermelha e a Avenida Brasil sofrem com a iluminação precária. Juntas, as vias têm mais de 400 postes totalmente apagados. O presidente da Rioluz, Ricardo Mendanha Piquet, culpa a ação de vândalos, que roubam a fiação, pela escuridão nas duas vias. Segundo ele, o custo para repor cabos furtados em toda a cidade é de cerca de R$ 100 mil mensais.

Para tentar desencorajar a ação dos criminosos, até o fim de novembro a prefeitura promete implantar em toda a Avenida Brasil e na Linha Vermelha o programa Luz Maravilha, Parceria Público-Privada que visa a substituir, até o fim do próximo ano, todos os 450 mil pontos de luz do Rio por LED. O programa, uma concessão de 20 anos com investimento previsto de R$ 1,4 bilhão, já mudou mais de 130 mil pontos pela cidade.

A ação desses bandidos também deixou às escuras 3.500 clientes da Light em 2020. E, só no primeiro semestre deste ano, o número de atingidos subiu para 6.500, um aumento de 85,7%. Copacabana, Ipanema, Centro e Barra da Tijuca foram os bairros que mais sofreram com esse tipo de crime.

No início de agosto, por exemplo, cabos foram arrancados na Rua Santa Clara, em Copacabana, deixando parte dos prédios sem energia. A recomposição da rede elétrica foi complexa e demandou cerca de dez horas de trabalho. Na ocasião, para amenizar a falta de energia provocada pela ação dos ladrões, a Light acionou um gerador para suprir o fornecimento.

Entre as medidas de proteção tomadas pela empresa está a instalação de sensores e alarmes em galerias de cabos subterrâneas, além da troca de boias de cobre, usadas para controlar a entrada de água, por outras feitas de fibra de vidro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos