Polícia destrói memorial para homenagear vítimas de operação no Jacarezinho

O memorial construído por moradores do Jacarezinho para homenagear as 28 vítimas da ação policial mais letal da história, em 6 de maio, foi destruído pela polícia na tarde desta quarta-feira.


De acordo com o registro de ocorrência, o monumento faria apologia ao tráfico de drogas, já que "27 mortos tinham passagens pela polícia e envolvimento comprovado com atividades criminosas, além do fato de que a construção do mesmo não tinha autorização da prefeitura do Rio de Janeiro".


Operação letal: Polícia produziu laudo após fim da investigação para defender agentes sobre mortes no Jacarezinho

Ainda de acordo com a justificativa da Polícia Civil, o nome do policial civil André Leonardo de Mello Frias, também morto na operação, foi incluído no memorial sem a autorização da família, e isso teria sido mais um motivo para a ação, que contou com policiais da 25ª DP (Engenho Novo) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos