Polícia do Equador prende líder dos protestos indígenas

A Polícia do Equador prendeu o líder indígena Leonidas Iza, que coordena os protestos que os povos originários organizam desde segunda-feira para pedir ao governo do presidente conservador Guillermo Lasso uma queda nos preços dos combustíveis, informaram as autoridades na terça-feira.

A polícia anunciou no Twitter a detenção de Leonidas Iza por "presunção de prática de crimes".

Iza, que foi detido em Pastocalle, ao sul de Quito, e um dos focos dos bloqueios das estradas durante as manifestações, "está em uma sala de segurança temporária, para uma audiência de qualificação de flagrante" para ser julgado, acrescentou a polícia.

As autoridades não revelaram o horário nem os delitos que motivaram a detenção de Iza, presidente da poderosa e opositora Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie).

A detenção de Iza foi confirmada pela Conaie, organização que convocou protestos por tempo indeterminado que começaram na segunda-feira e nas quais os indígenas também exigem uma reestruturação das dívidas que os camponeses têm com os bancos.

Após o anúncio da detenção do líder, a organização pediu a "radicalização" dos protestos.

"Grupos de elite da Polícia e das Forças Armadas detêm de maneira ilegal @LeonidasIzaSal1 presidente da CONAIE. Convocamos nossa estrutura organizacional a RADICALIZAR as medidas de fato pela LIBERDADE de nosso líder máximo e pela dignidade de nossa luta", afirmou o movimento no Twitter.

Em 2019, a Conaie liderou mais de uma semana de manifestações violentas contra o governo, que deixaram 11 mortos. Além disso, participou em revoltas sociais que derrubaram três presidentes entre 1997 e 2005.

sp/dga/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos