Polícia espanhola intercepta primeiro 'narco-submarino' da Europa

·2 minuto de leitura
Esta imagem disponibilizada em 15 de março de 2021 pela Europol e a Polícia Nacional Espanhola mostra um narcossubmarino apreendido pela polícia durante uma operação antidrogas em Málaga

A polícia apreendeu um "narco-submarino" de nove metros de comprimento no sul da Espanha, a primeira embarcação com essa função construída na Europa e encontrada pelas forças de segurança, informou a Europol nesta segunda-feira (15).

A embarcação semissubmersível, que nunca fica completamente submersa durante o uso, foi encontrada em um depósito na cidade portuária de Málaga, informou a polícia espanhola em um comunicado.

O submarino ainda estava em construção e, segundo suspeitas dos agentes, tinha capacidade para transportar até duas toneladas de drogas. Esses tipos de veículos são usados por traficantes de drogas para evitar a detecção pela guarda costeira e outras forças de segurança.

Em novembro de 2019, a polícia espanhola apreendeu um narco-submarino mas, na ocasião, ele havia sido construído na América Latina, onde são mais comuns.

A intervenção do navio fez parte de uma operação mais ampla, com a mobilização de 300 agentes e o envolvimento de policiais de Colômbia, Holanda, Portugal, Estados Unidos e Reino Unido, todos coordenados pela agência policial europeia Europol.

No total, 52 pessoas foram presas e a polícia realizou buscas em Barcelona, Málaga e outras oito cidades espanholas.

Além do semissubmersível, os agentes descobriram um sofisticado laboratório em Barcelona capaz de produzir 750 quilos de drogas por mês, uma lancha de 15 metros de comprimento, 400 quilos de cocaína, 700 quilos de haxixe e mais de 100.000 euros em dinheiro.

A investigação começou no ano anterior quando a polícia descobriu uma rede implicada no tráfico de grandes quantidades de cocaína, haxixe e maconha.

O grupo, liderado por espanhóis, colombianos e dominicanos, estava baseado na região da Catalunha (nordeste da Espanha), na cidade portuária de Tarragona, onde a polícia prendeu o chefe da quadrilha e 13 cúmplices em novembro.

Outro braço da organização foi descoberto no mês anterior na Costa del Sol, na província de Málaga.

hmw/dbh/mb/ap/mvv