Polícia faz operação para desarticular quadrilha que negociava carros roubados em aplicativo de mensagens

RIO — Policiais da 50ª DP (Itaguaí) realizam na manhã desta terça-feira uma operação para cumprir 11 mandados de busca e apreensão contra suspeitos que negociam a compra de carros roubados com uma quadrilha especializada nesse tipo de crime. Até o momento, um homem foi preso e identificado como Wemerson Roberto da Silva Camilo. Na residência onde ele estava, policiais apreenderam uma moto roubada.

Os mandados são cumpridos em dez residências e em uma empresa localizadas no Rio de Janeiro e em Rio das Ostras, na Região dos Lagos. Policiais procuram por veículos roubados e outros bens ilícitos que podem culminar em prisões em flagrante ou servir de provas para a investigação. A polícia procura ainda por outros foragidos com mandados de prisão em aberto. São eles: Carlos Vitor do Nascimento Leiroz e Matheus Jefferson Ribeiro Santos.

Segundo a polícia, a organização criminosa solicitava o serviço de transporte por aplicativo na área de Santa Cruz ou Campo Grande, Na Zona Oeste do Rio, para uma viagem até o bairro Santa Cândida, em Itaguaí. Durante o trajeto, o motorista era rendido e levado para um terreno baldio usado como cativeiro. Ele era mantido no local até que um assaltante fugisse com o carro.

Os investigadores descobriram que a quadrilha criou um grupo no aplicativo de mensagens WhatsApp denominado "A grande família" por onde organizavam os crimes e mantinham contato com os receptadores, aceitando encomendas de veículos. Dependendo do modelo, ano e estado de conservação, o valor do veículo variava entre R$ 500 e mil reais. Após a compra ilegal, os carros eram clonados e revendidos.

Na primeira fase da operação, realizada em agosto, foram presos Pedro Lucas Fontes Teixeira de Araújo, Gustavo Mendanha Neves e um adolescente identificado como Jean.