Polícia Federal prende suspeito de assalto a agências bancárias com uso de explosivos

A Polícia Federal, com apoio da Delegacia de Roubos e Furtos da Polícia Civil, prendeu, na noite desta terça-feira, o suspeito de integrar um grupo de assaltantes que utilizam explosivos para roubar agências bancárias no Rio. Os criminosos teriam realizado ações com explosivos em pelo menos cinco estabelecimentos na Região Metropolitana nos últimos quatro meses.

Em Manguinhos: Duas pessoas são baleadas e uma é morta durante ação policial

Acidente: Homem morre após cair de ônibus em movimento no Centro do Rio

Os eventos apurados pela operação intitulada Dinamite 2 referem-se aos dias 9 de junho, 1º de setembro, 3 de agosto, e os dias 2 e 5 de setembro. As agências atingidas estão localizadas, respectivamente, nos bairros da Ilha da Conceição, em Niterói; Paraíso, em São Gonçalo; Vila Isabel e Taquara, no Rio; e Centro de São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

Os criminosos investigados teriam praticado crimes de roubo qualificado na modalidade chamada de “Novo Cangaço”. A investigação da polícia aponta, ainda, que os assaltantes atuaram em um grupo com cerca de 15 homens com fuzis. Eles teriam roubado veículos, feito reféns e subtraído bens das instituições financeiras. Além disso, também teriam detonado artefato explosivo, resistido à prisão, bloqueado vias de acesso e disparado contra policiais militares.

Em 31 de outubro, o grupo estava prestes a realizar uma nova ação, dessa vez em uma instituição bancária de Angra dos Reis. Lá, entraram em confronto com a facção criminosa rival na comunidade da Lambicada. Na ocasião, no mínimo oito criminosos da quadrilha foram mortos pelos rivais.

Os integrantes do grupo serão indiciados pelos crimes de organização criminosa majorada, roubo quadruplamente qualificado e tentativa de homicídio duplamente qualificado, além de resistência qualificada. Com a condenação, a pena pode chegar a mais de 40 anos e multa.