Polícia Federal vistoria apartamento de Adriana Ancelmo para prisão domiciliar

Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil

Quatro agentes da Polícia Federal (PF) fizeram hoje à tarde (28) uma vistoria no apartamento da advogada Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador Sérgio Cabral, no Leblon, bairro nobre da zona sul do Rio de Janeiro.

A inspeção foi determinada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, para garantir que o imóvel não tenha equipamentos eletrônicos para comunicação, como acesso à internet e telefones, já que Adriana deverá cumprir prisão domiciliar no local. Outra recomendação da Justiça é que as visitas de Adriana Ancelmo deixem o telefone celular na portaria ao chegar ao prédio.

Os agentes federais – um delegado e um perito especializado em varredura –  ficaram cerca de uma hora no local.  Ao deixar o prédio, um dos policiais disse que o apartamento está apto para receber Adriana Ancelmo. Após receber o laudo da Polícia Federal, o juiz Marcelo Bretas vai expedir o documento que autorizará a ex-primeira-dama a voltar para casa para cumprir prisão domiciliar.

A advogada foi presa no dia 6 de dezembro do ano passado, acusada de fazer parte do esquema de corrupção envolvendo Sérgio Cabral, que desde o dia 17 de novembro do ano passado está preso na Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, conhecida como Bangu 8.

No dia 17 de março, o juiz Bretas determinou que Adriana Ancelmo deixasse o Complexo Prisional de Bangu e fosse para o regime domiciliar. Na decisão, o juiz considerou que os filhos do casal, de 11 e 14 anos, estavam em casa, sem a presença dos pais. A medida foi cassada pelo Tribunal Regional Federal, mas a defesa da advogada conseguiu a concessão da prisão domiciliar no Superior Tribunal de Justiça (STJ).