Polícia de Houston pode enfrentar processo por atirar em bebê

·1 minuto de leitura
Foto cortesia do escritório Ben Crump Law mostra Daisha Smalls com o filho, Legend, no colo

A mãe de um menino negro de um ano que foi baleado na cabeça e gravemente ferido pela polícia no Texas disse, nesta terça-feira (16), que planeja abrir um processo contra as autoridades.

"Meu bebê não merecia isso", disse Daisha Samlls durante uma coletiva de imprensa. "Meu bebê não merecia ser baleado. Principalmente não pela polícia".

Smalls, de 19 anos, disse que fragmentos da bala permaneceram alojados no cérebro do seu filho, Legend Smalls, e que ele teve parte do seu crânio removido após o tiroteio de 3 de março em Houston.

A jovem estava em um posto de gasolina com seu filho em uma cadeirinha de bebê no banco de trás do seu carro quando um homem armado, que era perseguido pela polícia, tentou tirá-la do veículo.

Um policial abriu fogo, matando o suspeito e ferindo o bebê.

"Eles sabiam que ela estava no carro", disse Ben Crump, advogado de Smalls. "Eles atiraram mesmo assim, sabendo que ela estava no carro".

"Agora nos Estados Unidos, falamos muito sobre como - quando se trata de afro-americanos - a polícia atira primeiro e faz perguntas depois", disse Crump. "E eles não fazem isso com outros cidadãos".

Antonio Romanucci, outro advogado de Smalls, disse que "nossa intenção é abrir um processo".

"Nós estamos revelando mais fatos, e quando esses fatos estiverem totalmente esclarecidos, pode-se antecipar a abertura de um processo", disse Romanucci.

"Você não atira a menos que saiba qual é o seu alvo", disse ele. "Isso não é um filme. Isso não é um programa de televisão".

chp/cl/jm/ap/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos