Polícia identifica três suspeitos de ataque a turistas suíços

Rafael Nascimento de Souza
Turista suíça deixa a delegacia, no Leblon, após depoimento que durou cerca de 4 horas

RIO — A Polícia Civil identificou três suspeitos de participação no ataque a um casal de suíços ocorrido no fim da tarde de domingo na Avenida Brasil, e pode pedir à Justiça a prisão temporária do grupo. O empresário Michelle Angelo Galli, de 73 anos, foi baleado no peito e, até a noite desta segunda-feira, encontrava-se internado em estado grave no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Sua namorada, Miranda Piai Regazzoni, de 64 anos, ficou ferida por estilhaços de bala e, à tarde, prestou depoimento por quatro horas e meia na Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat), no Leblon.

O crime aconteceu na saída do acesso da Rodovia Washington Luís à Avenida Brasil. Miranda contou na Deat que chegou à cidade com Michelle no último dia 23 e, no domingo, alugaram um carro para passar o réveillon em Paraty, na Costa Verde. O casal saiu do Recreio e, segundo ela, não conseguiu encontrar a pousada na qual haviam feito uma reserva. Assim, decidiram retornar ao Rio.

O casal teria rodado cerca de 600km até o momento em que foi atacado. PMs da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Cruzeiro, que prestaram os primeiros socorros aos suíços, afirmaram que eles entraram por engano na Cidade Alta, em Cordovil, onde acabaram sendo abordados por traficantes. No entanto, Miranda negou essa versão.

— Não entramos na favela — limitou-se a dizer Miranda ao deixar a delegacia.

O carro alugado pelo casal tem GPS,  mas o aparelho não guarda o histórico de navegação.Osx investigadores analisam imagens de câmeras de segurança da região do ataque. Os suspeitos, de acordo com fontes da Polícia Civil, costumam praticar assaltos no Trevo das Margaridas, em Irajá, que fica no entrocamento da Via Dutra com a Avenida Brasil e bem perto do local do crime. Investigadores já ouviram testemunhas da ação.

Um motorista que ia de Itaipava para o Rio prestou depoimento na Deat e pode ajudar a elucidar o crime. Ele contou que levou uma fechada de um carro e, em seguida, três homens, um deles armado com um fuzil, saíram do veículo para rendê-lo. Logo depois, ouviu dois disparos, que teriam sido feitos contra o casal de suíços.

— Foi um dos momentos mais assustadores que já vivi no Rio de Janeiro. Talvez eles (os turistas) tenham se assustado com a abordagem, acho que não entenderam direito o que estava acontecendo.

Também ontem, a PM realizou uma operação na Cidade Alta e em outras comunidades da região em busca de suspeitos. Ninguém foi preso.