Polícia interrompe festa com 60 pessoas na zona sul de SP

RENATO FONTES
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma balada clandestina com pelo menos 60 pessoas foi interrompida em uma casa noturna na região de Interlagos (zona sul da capital paulista), na madrugada deste domingo (21), por agentes de saúde e segurança. Quatro homens, entre 29 e 42 anos, foram autuados. A ação foi deflagrada pelo Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos), do Dope (Departamento de Operações Especiais de Polícia), em apoio ao Comitê de Blitze, criado pelo governo de São Paulo, João Doria (PSDB), para reforçar a fiscalização do cumprimento das medidas restritivas contra a pandemia e atuar contra festas clandestinas e aglomerações. Participaram também as polícias Civil e Militar, a Vigilância Sanitária e o Procon. O deputado federal Alexandre Frota (PSDB) acompanhou a fiscalização. De acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública), as equipes encontraram muitas pessoas aglomeradas em um ambiente fechado, onde havia música por DJ e bebidas alcoólicas, descumprindo o Decreto Estadual que visa a combater a disseminação da Covid-19. Foram apreendidos equipamentos de som e máquinas de cartão. O local foi periciado e interditado pela prefeitura municipal, gestão Bruno Covas (PSDB). Em vídeo publicado nas redes sociais, o parlamentar tucano chamou de "caos" o que viu e comentou a ação. "No momento em que a gente perde três mil pessoas, nós temos pessoas dançando, cantando e bebendo. Não é possível que isso esteja acontecendo. Nós vamos coibir", afirmou Frota. Todos os participantes da balada foram qualificados e liberados pela Vigilância Sanitária para evitar aglomerações, mas serão investigados. Quatro homens responsáveis pelo evento foram detidos e levados à delegacia, onde foram autuados por infração de medida sanitária preventiva. A ocorrência foi registrada por meio de um termo circunstanciado na 1ª Delegacia da Divisão de Investigações sobre Infrações Contra o Consumidor, do DPPC (Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania), e depois encaminhada ao Jecrim (Juizado Especial Criminal). Na noite de sexta-feira (19), quatro estabelecimentos comerciais foram interditados e cinco autuados também pelo Comitê de Blitze por descumprimento das normas sanitárias e as restrições de circulação do Plano São Paulo na capital.