Polícia investiga ameaça de morte contra governador do Ceará

JOÃO VALADARES
·1 minuto de leitura

RECIFE, PE (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil do Ceará instaurou inquérito para investigar ameaça de morte sofrida pelo governador Camilo Santana (PT) em grupo de WhatsApp que reúne pessoas contrárias a medidas restritivas de combate à pandemia do novo coronavírus. No áudio compartilhado no grupo intitulado “Ceará contra o lockdown”, um homem já identificado pela polícia diz que participaria de uma ação para "pegar o governador". “Vou ser sincero com vocês: tinha uma galera aí doida para pegar o governador...é porque sumiu [sic]. Mas não tá fácil pra ele escapar não. Tem um bocado de menino bom aí doido para pegar ele, para comer a cabeça dele. É grana, viu? E eu estou dentro”, diz a voz na gravação. O áudio foi revelado nesta segunda-feira (29) pelo jornal Diário do Nordeste. Na última sexta-feira (26), policiais identificaram o suspeito e apreenderam, na casa dele, em Fortaleza, um aparelho celular. De acordo com informações da Polícia Civil, o equipamento está sendo analisado. O suspeito foi ouvido na delegacia e liberado em seguida. “A Polícia Civil segue investigando o caso para apurar o envolvimento de outras pessoas e a participação do suspeito em outros crimes. O homem responderá criminalmente pelas ameaças”, diz nota da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará. O governador Camilo Santana não deu declarações sobre o assunto. Diante da alta de casos de Covid e do colapso do sistema de saúde, o Ceará instituiu no início deste mês isolamento social rígido com fechamento do comércio não essencial. A medida, prorrogada na semana passada, tem validade até o dia 4 abril.