Polícia investiga assassinato de detento em presídio que abriga maior facção criminosa do Rio

Carolina Heringer

Um preso foi encontrado morto na última sexta-feira na Penitenciária Gabriel Ferreira Castilho, conhecida como Bangu 3, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio. Segundo informações da Secretaria de Administração Penitenciária do Rio, Thiago Nogueira de Nolla tinha sinais de violência e chegou a ser levado para o Pronto Socorro Geral Doutor Hamilton Agostinho, dentro de Gericinó, mas já chegou sem vida ao local.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios (DH) da capital. Ainda segundo informações da Seap, também foi iniciada uma apuração da própria sectetaria. Onze presos foram transferidos para a penitenciária Laércio da Costa Pelegrino, Bangu 1, por suspeita de terem participado do crime.

Thiago estava preso desde dezembro de 2018, quando foi capturado após uma troca de tiros com policiais militares. Segundo informações do processo na 38ª Vara Criminal do Rio, Thiago foi capturado com outros três comparsas em um carro em Higienópolis, na Zona Norte da cidade. Com um eles havia uma pistola e, no veículo, foi encontrado um revólver.

Os policiais foram até o local após receberem informações de que quatro homens estava reunidos para praticar roubos. Com a chegada dos PMs, houve troca de tiros e o grupo fugiu. No entanto, os policiais conseguiram capturá-los logo em seguida. Em setembro, Thiago foi condenado a quatro anos e nove meses de prisão. Ele já tinha sido condenado anteriormente pelos crimes de roubo e receptação.