Polícia investiga morte a facadas de garota de programa que chamou ex-colega de trabalho de gorda e feia, em Volta Redonda

·1 min de leitura

A Polícia Civil do Rio trabalha, desde a noite da última quinta-feira, dia 4, para determinar as circunstâncias da morte da garota de programa Taiana Gonçalves de Noronha, que morreu horas após levar uma facada no coração de Ana Angélica Caetano. A mulher havia trabalhado com a vítima, com quem teve uma discussão, na Avenida Integração, no bairro Aterrado, em Volta Redonda, no Sul Fluminense. Na briga, ela teria sido chamada de gorda e feia, pegou a arma branca, que utilizava para fazer quentinhas, seu atual ofício, e lhe golpeou.

De acordo com o delegado Edezio Ramos, titular do 93a DP (Volta Redonda), Ana Angélica se apresentou espontaneamente na delegacia e confessou o crime, alegando ter sofrido bullying de Taiana. Desde então, testemunhas têm sido ouvidas e diligências, realizadas.

- O caso foi inicialmente registrado como lesão corporal. Com a confirmação da morte da vítima, o crime passou a ser tratado coo homicídio - explicou o delegado.

Taiana chegou a ser levada para o Cais do Aterrado e, em seguida, transferida para o Hospital São João Batista, mas não resistiu aos ferimentos. Imagens de câmeras de segurança flagraram momentos da discussão. Nas imagens, é possível ver as duas sendo contidas por outras pessoas em uma calçada.

Ana Angélica já tinha uma anotação criminal por envolvimento em outro homicídio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos