Polícia investiga se turista alemão desapareceu após entrar no mar em Ipanema

De acordo com a Polícia Civil, testemunhas contaram ter visto um homem, com características físicas compatíveis às do alemão Tommy Klak, entrando no mar, em Ipanema, Zona Sul do Rio, no início da noite de quarta-feira. O relato recebido pelos policiais é de que ele teria se despido antes de mergulhar, o que chamou a atenção de quem estava no local. Depois de entrar no mar ele não foi mais visto. O Corpo de Bombeiros foi acionado às 19h13 desse mesmo dia e as buscas para localizá-lo estão em andamento desde então. O rapaz segue desaparecido.

Em nota a polícia diz que a Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat) investiga ainda " a denúncia de agressão a um cidadão norte-americano por policiais militares, na madrugada de quinta-feira". O texto segue informando que os PMs foram chamados até o local "porque o homem teria tentado invadir um prédio, em Ipanema". Os policiais militares que participaram da ação já foram ouvidos e imagens de câmeras de segurança estão sendo analisadas.

O americano é aguardado para prestar depoimento. Ele seria companheiro de Tommy e deu entrada no Hospital Municipal Miguel Couto na madrugada de quinta-feira, apresentando suspeita de "intoxicação exógena" e marca de contusão , segundo informou a Secretaria Municipal de Saúde.

Em nota, a direção do Hospital Municipal Miguel Couto informou que "na madrugada de quinta-feira, deu entrada um homem estrangeiro, aparentando 35 anos, sem documentos de identidade. Estava agitado, com suspeita de intoxicação exógena e marca de contusão. Ele foi avaliado pelas especialidades de cirurgia geral, cirurgia bucomaxilofacial, neurocirurgia e clínica geral e recebeu alta no mesmo dia".

Na sexta-feira, o colunista Ancelmo Gois, do GLOBO, publicou que o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBTQIA+, dirigido por Cláudio Nascimento, denunciou o sumiço do alemão Tommy Klak.