Polícia iraniana solta tiros e gás lacrimogêneo para dispersar protestos por colapso de prédio

DUBAI (Reuters) - A polícia iraniana usou gás lacrimogêneo e atirou no ar para dispersar outra noite de protestos pelo colapso de um prédio que gerou vítimas na cidade de Abadan, no sudoeste, pelo qual as autoridades estão culpando corrupção e falta de segurança, disseram a agência de notícias Fars e relatos nas redes sociais.

Autoridades na região produtora de óleo de Khuzestan, onde fica Abadan, disseram que a contagem de mortos subiu para 29 pessoas, e outras 37 foram feridas no colapso de segunda-feira de um prédio residencial e comercial com 10 andares. Até agora, 13 pessoas foram detidas por violações de construção, disseram.

Autoridades investigando o desastre detiveram os prefeitos atual e anterior de Abadan e muitos outros funcionários municipais, entre acusações de que alertas de segurança foram ignorados.

O governo anunciou um dia de luto nacional no domingo para honrar as vítimas do colapso, disse a imprensa estatal.

A agência Fars afirmou que uma protesto em Abadan na noite de sexta-feira ficou violento quando a multidão forçou a entrada às ruínas do prédio, onde operações de resgate estavam em andamento. A polícia atirou gás lacrimogêneo e tiros de alerta, disse.

Imagens nas redes sociais mostraram pessoas correndo por proteção. Gritos de “não atire, não atire” e sons de armas de fogo podiam ser ouvidos. A Reuters não conseguiu autenticar as imagens de maneira independente.

(Reportagem da Redação de Dubai)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos