Primeiro contingente de reforço de forças de paz da ONU chega ao Sudão do Sul

Yuba, 30 abr (EFE).- O primeiro contingente dos 4 mil capacetes azuis que se unirão aos trabalhos de manutenção da paz no Sudão do Sul começaram a chegar ao país, segundo um comunicado da missão da ONU para o Sudão do Sul (UNMISS).

A UNMISS assegurou que este novo contingente, denominado Força Regional de Proteção (FRP), já conta com um quartel central na capital Yuba e com um comandante geral a seu cargo, o ruandês Jean Mupenzi, que residirá na cidade.

A nota afirma que um grupo avançado de trabalhadores de uma construtora de Bangladesh, com equipamento essencial para preparar as áreas de trabalho e a acomodação dos novos capacetes azuis, se deslocou à capital sul-sudanesa em 20 de abril.

Espera-se que tropas de Ruanda que integram esta força se transfiram para o Sudão do Sul em junho e julho, segundo o comunicado, que, no entanto, não ofereceu números.

"As FRP oferecerão proteção às instalações-chave em Yuba, bem como nas principais rotas de entrada e saída da cidade", assegurou a UNMISS na nota, na qual enfatizou que estas novas tropas também contribuirão para o reforço da segurança nos centros da ONU.

A nota acrescentou que com o envio destes 4 mil novos soldados de paz, que acontecerá de maneira gradual nos próximos meses, as forças de pacificação atualmente presentes no país poderão ser enviadas para outras regiões afetadas pelo conflito, além de Yuba.

A missão da UNMISS estava composta por 13 mil soldados, mas o Conselho de Segurança decidiu aumentar em agosto seus efetivos militares para 17 mil.

A ampliação da missão foi aprovada após os choques entre as tropas do presidente e as do líder opositor que causaram pelo menos 300 mortes em julho do ano passado.

O conflito entre os dois explodiu no final de dezembro de 2013 depois que o presidente do país, Salva Kiir, da etnia dinka, denunciou uma tentativa de golpe de Estado por parte do então vice-presidente, Riak Machar, pertencente à tribo nuer. EFE