Polícia de Londres mata homem após ataque "terrorista" com faca

Polícia britânica durante operação em Stafford, cetro da Inglaterra, em 30 de novembro de 2019

A polícia britânica matou neste domingo um homem no bairro londrino de Streatham, depois que pelo menos duas pessoas foram esfaqueadas em um suposto ato "terrorista", informou a força de segurança.

A polícia confirmou pouco depois do ato a morte do agressor, enquanto uma testemunha declarou ter visto um homem "com um facão e cilindros prateados no peito".

"Podemos confirmar que o homem no qual a polícia atirou por volta das 2H00 PM hoje em #Streatham High Road foi declarado morto", afirmou a polícia londrina no Twitter.

"As circunstâncias estão sendo examinadas, o incidente foi declarado terrorista", completa a nota da polícia.

Gulled Bulhan, um estudante de 19 anos, declarou à agência britânica Press Association que viu o ataque.

"Vi um homem com um facão e cilindros prateados no peito sendo perseguido pelo que, eu entendi, era um oficial de polícia disfarçado, pois estava à paisana", disse.

"Então atiraram no homem. Acho que ouvi três tiros, mas não consigo lembrar bem", completou.

Bulhan disse que procurou refúgio em uma biblioteca e que outras pessoas correram para as lojas mais próximas.

A polícia pediu que os cidadãos evitem se aproximar da zona do incidente, enquanto o serviço de emergência prestava atendimento aos feridos.

O serviço de ambulâncias de Londres indicou "vários dispositivos" foram mobilizados na High Road de Streatham, um bairro eminentemente residencial, onde aconteceu o ataque.

Vídeos publicados nas redes sociais, mas que não foram considerados autênticos até o momento, mostram as supostas imagens do incidente, com policiais cercando um homem deitado no chão em Streatham High Road. Os agentes o retiram do local e pedem aos curiosos que se afastem da cena, enquanto vários veículos de emergência chegam ao local.

O Reino Unido foi abalado por vários ataques nos últimos anos. O mais recente aconteceu em 29 de novembro de 2019, quando Usman Khan, um jihadista condenado, foi morto pela polícia na Ponte de Londres.