Polícia de Mianmar abre fogo contra manifestantes, fere quinze e deixa pelo menos dois mortos

A polícia entrou em confronto com manifestantes e provocou a morte de pelo menos duas pessoas em Mianmar nessa quarta-feira (3 de março), segundo a imprensa local. As imagens mostram o cenário caótico na cidade de Myingyan, em Mandalay, onde duas pessoas vieram a óbito. Outras quinze ficaram feridas. A força policial abriu fogo para reprimir os protestos contra o exército. Os feridos no confronto foram encaminhados ao hospital em ambulâncias. O incidente ocorreu mais de um mês após os militares terem tirado a ex-líder Aung San Suu Kyi do poder, no dia 1º de fevereiro, e assumido o controle das operações do Estado. Suu Kyi, que já ganhou um Prêmio Nobel da Paz, foi vista no tribunal nessa última segunda-feira. O número total de mortos nos protestos ainda não foi divulgado – mas há alguns relatos da imprensa local afirmando que dezenas de pessoas perderam a vida nos confrontos. Grupos defensores dos direitos humanos têm expressado uma preocupação crescente com a situação. A pressão internacional sobre Mianmar, antiga Birmânia, aumentou após o alerta do governo dos EUA a respeito da aplicação de sanções ao país. A Birmânia foi governada pela Grã-Bretanha de 1824 a 1948, período em que se tornou o segundo país mais rico do Sudeste Asiático. Após a sua independência, foi governada pelos militares até 2011, quando as reformas democráticas se iniciaram. Foi então que a nação mudou seu nome oficial para Mianmar.